22 de mai de 2012

Tirando à forra (Parte II final)


Só existe um adjetivo para a Corrida da Ponte 2012: Perfeita!

 

Verdade seja dita, a organização da Corrida da Ponte de 2012 foi muito feliz com todas as modificações que realizou em relação ao ano passado. É claro que o acordo com São Pedro foi cumprido a risca. A temperatura na largada estava próxima de 19ºC, o que ajudou muito durante a prova.

Os pontos de hidratação a cada 3 km estavam fartamente abastecidos e a água na temperatura ideal. Até mesmo o ponto do km 3, que no ano passado causou tumulto embaixo do acesso de serviço da Ponte, foi reposicionado facilitando o desenrolar da prova.
Nos 3 primeiros quilômetros, quando ainda estava me aquecendo, percebi que a corrida seria diferente do ano anterior. Sentia-me confortável com a temperatura, a subida do vão central foi feita sem o menor problema, inclusive um dos meus melhores quilômetros foi km 7, o qual fiz em 5:08, para minha felicidade e espanto, pois era o final da subida.
No entanto, nos quilômetros seguintes procurei ser um pouco mais moderado para evitar surpresas ao final.
Encontrei alguns amigos ao longo da Ponte, como o Ricardo (CE+3), que havia completado há pouco tempo a K21 de Arraial do Cabo, e o Paulo Rangel, que em seu pace “suíço” seguia forte e concentrado. Um pouco mais adiante, no Km 15, fui ultrapassado por um apressado Jorge Ricardo, que parecia estar começando a correr ali, na Perimetral. E acho que começou, pois não estava nem suado!
Quando já estava no Km 18, senti um pouco o cansaço, já começava a ficar preocupado com algumas pequenas dores musculares que fustigavam minha coxa, então resolvi aliviar a pressão, pensando apenas em completar a prova dentro do objetivo das 2 horas.
Quando entrei nos últimos metros no inicio do Aterro, acelerei para ver se acabava logo com aquele pequeno desconforto. Vi o pórtico, e instintivamente minhas pernas aceleraram rumo à linha de chegada.
Finalmente cruzei e fechei a corrida com 2h00m37s. Eu acabara de baixar em 24 minutos o tempo de a 2011!
Quanto ao meu desempenho, estou muito feliz que tenha alcançado meu objetivo para esta prova, o que me dá mais segurança para minha prova-alvo em setembro, a Maratona de Berlim.


Corrida da Ponte? Fui às forras!




Um comentário:

  1. Gugu,
    quando fiquei sabendo que essa prova seria revitalizada, achei o máximo. Vai pegar!!!! (pensei). Mas, logo que foi realizada (em 2011), as críticas foram duríssimas. Confesso que fiquei ressabiado com o que viria em 2012. Quem bom que os ajustes foram satisfatórios. Acho que ano que vem, vou colocar essa "meia" no meu calendário. Parabéns pela prova e nos vemos em agosto! Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado por sua contribuição.